sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Samba de Sampa - Império de Casa Verde



Uma das escolas mais aguardadas, a Império de Casa Verde encerrára os desfiles de São Paulo em 2011. O Tigre apresentará o enredo "Samba sabor cerveja. Admirada a milênios, a mais nova sensação nacional", sobre a cerveja, bebida bastante comum no cotidiano dos brasileiros. A escola costuma apresentar alegorias bem grandes e luxuosas, que sempre geram grande expectativa. Bicampeã em 2005 e 2006, a Império é a escola mais nova do grupo Especial, a "caçula do samba", como diz a própria letra do samba.

Mais uma vez o refrão do samba menciona o amanhecer de um novo dia, como é costume da escola quando é uma das últimas a desfilar. A letra alterna momentos mais formais com trechos irreverentes, mas que são pertinentes e combinam com o enredo. Essa dualidade de estilos acontece devido à fusão entre duas obras que originou a letra final. Destaque para a homenagem à madrinha da Império no fim da segunda parte, a escola de samba Camisa Verde e Branco, cujo símbolo é um trevo. Como único ponto negativo, a menção ao patrocinador da escola no último verso. Não soou legal. A melodia é excelente, forte e dolente no mesmo estilo dos demais sambas da escola. Um dos melhores do ano em São Paulo.

IMPÉRIO DE CASA VERDE - 2011

Enredo: Samba sabor cerveja. Admirada a milênios, a mais nova sensação nacional
Compositores: Carlos Alberto, Fininho, Marcelinho, Nocera Romagnoli, Sylas, Tadeu Sá, Tião, Walter Jr. e Vagner dos Santos



Dádiva dos deuses
Embriagado de alegria vou contar
Uma lenda diz que pra ser feliz
No Egito foi preciso cultivar
Grande paixão, perpetuando as celebrações
Espalhou-se pelo mundo
Ganhando forma e teor
Na mitologia, sagrada se tornou
É ripa na tulipa meu amor

De gole em gole uma alucinação
Sabor de magia na imaginação
Na caça às bruxas, balançou mas não caiu
Se modernizou, evoluiu


Atravessou o imenso mar
Foi Cauim, louvou Jaci
O "seu" Nassau aqui chegou
Até o Dom João bebericou
Propagou o delirante ouro líquido
Com o alemão a bebedeira foi geral
Pro povão seja loira ou morena
Preferência nacional
No meu Brasil fez história
É quem faz a festa rolar
Na mesa de bar, em qualquer lugar
Garçom desce a cerva, eu quero brindar
A ti, madrinha querida, trevo da inspiração
Em cada "nova esquina" um cervejão

Vai clarear! Vem meu Império
A caçula do samba pede a saideira
"A mais nova sensação"
Faz do meu tigre campeão

Um comentário:

  1. Na minha opinião o oitavo melhor samba de São Paulo

    ResponderExcluir